Como Lidar Com Vizinhos Implicantes?

A Internet está cheia de desabafos de vizinhos. Os companheiros de moradia poderiam ser agradáveis, mas costumam não ser e as vezes parece que isso acontece por pura implicância. É muito difícil viver perto de outras pessoas, em especial quando se está convivendo com vizinhos implicantes.

.

Muitas disputas entre vizinhos acabam em tribunal por causa da má comunicação. Se acontecer algo perigoso ou ilegal, os policiais são a resposta óbvia para solucionar seu problema. Mas se surgirem problemas de pouca gravidade, a comunicação é a melhor maneira de economizar dinheiro e aborrecimento. Aqui está a melhor maneira de ser um bom vizinho e lidar implicante.

Seja um Bom Vizinho

Mal não se vence com o mal, pois opostos se atraem. A melhor maneira de vencer a brutalidade do seu vizinho implicante é sendo melhor que ele, o que quer dizer que você deve vencer a implicância sendo um bom vizinho.

Como Lidar Com Vizinhos Implicantes?

Como Lidar Com Vizinhos Implicantes?

Ser um bom vizinho não significa tirar férias em família juntos. Basta conhecer o outro bem o suficiente para dizer oi, ou talvez pedir uma xícara de açúcar ou emprestar uma ferramenta de jardinagem para construir a confiança e compreensão. Problemas são muito mais propensos a aumentar entre estranhos que entre conhecidos casuais.

Dê o Bom Exemplo

Quer ser bem tratado? Trate bem o seu vizinho. Se você está dando uma festa em sua casa, vá até todos os vizinhos que possam ser afetados e oferecer-lhes duas coisas: um convite verbal para a festa e um cartão com seu número de telefone. Se o ruído aumentar demais ou há um outro problema relacionado a seu evento, o seu vizinho pode chamá-lo em vez da a polícia. O segredo é comunicação e agir preventivamente antes do problema surgir. Seu vizinho, por mais que seja implicante, não terá argumentos diante de sua boa conduta.

Vizinhos

Vizinhos

Documente o Problema

Seu vizinho pode ser bastante implicante, mas lei é lei em qualquer lugar do mundo. Quando um problema surge, comece a anotar datas e e tire fotos se for possível, pois será necessário para resolver seu problema. Isso pode ajudar em três formas. Primeiro, ele ajuda você a avaliar a gravidade do problema: olhando no papel, você pode perceber que não é tão grande coisa, ou você pode ver uma solução. Segundo, você tem informações para apoiá-lo quando for explicar a situação para o seu vizinho. E finalmente, se o problema for se agravando, a manutenção de registros podem mostrar as autoridades que você é sério e organizado, e não emocional e chorão.

Conversar Sempre é Uma Boa Solução

Imagem de Amostra do You Tube

Informe o seu vizinho que está incomodando você, pois mesmo implicante, ele pode ter um bom coração. Talvez ele não saiba qual é o problema e o quanto ele te afeta. Seja aberto e direto, e não passivo-agressivo. Peça para que seu vizinho te dê alguns minutos de atenção, e sempre que possível, proponha uma solução. Isso demonstra uma vontade de compromisso. Na conversa deve-se ficar calmo e positivo, mesmo que seus vizinhos não sejam.

Converse com Outros Vizinhos Sobre o seu Problema

Se falar não funcionar, tente obter mais ajuda. Se você faz parte de um condomínio ou associação do proprietário da casa, fale  com eles sobre o problema e ver se eles podem resolvê-lo mais facilmente (e de forma mais barata).

Veja se mais alguém da sua rua ou do seu bloco de apartamentos está tendo problemas semelhantes. Seus vizinhos que estão sendo afetados pela implicância do outro  podem estar dispostos a ajudar a resolvê-lo. Se um dos vizinhos é mais perto do encrenqueiro, tê-lo do seu lado é uma ótima ideia.

Imagem de Amostra do You Tube

Convoque um Mediador para Resolver seus Problemas

Uma terceira pessoa, neutra e com experiência na resolução de litígios pode te dar mais sucesso nas sua casa, embora isso só possa funcionar se o seu vizinho está disposto a conversar. É muito mais barato do que ir a tribunal, embora, em alguns casos, pode ser necessário seguir com um processo se a implicância é tão grande assim.

Busque as Autoridades

Se você suspeita que seu vizinho está violando ordens municipais, vá adiante, pois o problema é maior do que com você e outra pessoa vai resolver em seu lugar. Faça um pouco de pesquisa, escreva e apresente às autoridades competentes. Você pode procurar a lei municipal e aprender tudo sobre a aplicação do código na sua cidade. Se a sua disputa na vizinhança envolve violações do código, a cidade pode resolver o seu problema para você.

Mas não tente denunciar anonimamente violações do código de seu vizinho. Não só o vizinho geralmente descobre quem “dedurou” de qualquer maneira, mas pode ressentir-se por você ser um intrometido passivo-agressivo, e pode criar situações futuras muito mais complicado e dentro da lei. Lembre-se que você ainda tem que viver ao lado dessas pessoas.

Chame a Polícia

Caso você tenha agido de boa-fé, mas sem sucesso, envolver a polícia é o próximo passo. Você pode explicar a situação e mostrar como já tentou trabalhar isso, mostrando suas notas mantidas. Mas os policiais provavelmente não podem fazer muita coisa, a menos que uma lei ou portaria esteja sendo quebrado. Isto é para coisas como barulho excessivo e da atividade ilegal, não um galho de árvore pendurado em seu quintal. No entanto, a presença da polícia pode mostrar o seu vizinho que você não vai deixar o problema ir adiante.

Fale Com um Advogado

Se você já tentou de tudo, pode ainda consultar um advogado e pedir para que o profissional escreva uma carta ameaçando tomar medidas legais.

Leve-o ao Tribunal de Pequenas Causas

Isto é muito mais barato do que uma ação maior, pois você pode representar a si mesmo. Mas você deve fazer o seu trabalho. Precisa colocar para fora o problema, apresentar provas, e chegar a uma estimativa razoável do dano que possa justificar quando questionado. Os danos são geralmente limitadas, embora a quantidade varia por Estado.

.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>