Como Evitar Brigas no Relacionamento

Brigas são normais em todos os tipos de relações humanas, cada ser humano é único, com suas opiniões e atitudes e atritos sempre irão acontecer. Pais e filhos, irmãos, parentes, sempre haverá desentendimento. Porém, é importante ficar alerta quando as brigas se tornam parte da rotina de um relacionamento e começam a sobressair os momentos de harmonia.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=1eqWtjZn00U[/youtube]

Se você quer ter um relacionamento feliz na maior parte do tempo, confiras as nossas dicas a seguir.

Quando o Relacionamento Vira uma Guerra

Quando as brigas se tornam constantes na vida de um casal se transformam em um círculo vicioso. Imagine o seguinte exemplo: A mulher começa a brigar com o marido por coisas pequenas, como deixar a toalha molhada sobre a cama, não abaixar a tampa do vaso, etc. O homem, por sua vez, começa a ficar irritado e passa a implicar também com coisas pequenas. Assim se inicia uma temporada de brigas que podem levar até mesmo à separação.

Devemos ressaltar que demos apenas um exemplo, não são somente as mulheres que começam a brigar por coisas sem importância, os homens também podem ser muito implicantes.

Comece a se colocar no lugar do outro para entender melhor o motivo de ele demonstrar irritação em determinados dias. Tente se imaginar na mesma situação. Tenha paciência, se você apoiá-lo (a) certamente o problema irá desaparecer mais rapidamente.

Os Problemas Externos

Muitas vezes, o que leva um homem ou uma mulher a se tornarem implicantes são problemas que não fazem parte do relacionamento. Pode ser uma época ruim no trabalho, algo relacionado à família, questões financeiras, etc.

O correto a se fazer é chamar o parceiro (a) para uma conversa e explicar o porquê de estar com os nervos aflorados. Um casal deve saber dividir os problemas, mesmo que o outro não possa ajudar, apenas o fato de estar do seu lado, te ouvindo e apoiando fará uma grande diferença.

A Importância da Cumplicidade

Um grande problema que acontece em muitos namoros e casamentos é que os casais parecem estar apenas parcialmente juntos. A cumplicidade é fundamental em um relacionamento. Quando dizem que um casal que se ama se torna uma pessoa só é a respeito de cumplicidade que estão falando.

Um casal é cúmplice quando um sofre com o problema do outro, vibra com a vitória do outro, tudo como se fosse que ele mesmo. Quando há esse tipo de relação fica muito mais difícil acontecer brigas desnecessárias.

O ideal seria que todos apenas se mantivessem comprometidos se realmente estivessem dispostos a se tornarem cúmplices um do outro, com amor, respeito e lealdade. Não estamos tentando impor nenhum tipo de regra, afinal quando se trata de amor cada um tem suas próprias leis. Porém, um relacionamento quando é completo é muito mais feliz.

Quando a Briga Se Torna Necessária

Na verdade, brigar nunca é necessário e deve ser evitado a todo custo. Entretanto, somos seres humanos e, vez ou outra, acabamos extravasando a raiva. O ideal é que tudo seja conversado, o diálogo é a melhor arma para um casal se entender.

Do mesmo modo que briga em excesso faz mal, guardar ressentimentos também faz. Se você é do tipo que engole tudo por medo de contar para o outro que não aprovou determinada atitude dele deve tomar cuidado. Ninguém consegue guardar mágoas por muito tempo e a qualquer momento você pode explodir, mesmo que não queira.

O ideal é que o casal tenha um acordo de manter uma relação aberta e contar para o outro tudo o que não agradou, sem deixar passar. É importante ter bom senso para saber dividir algo que o outro fez de errado das coisas que são irrelevantes.

Depois de fazer esse acordo, é importante saber que não é para sair brigando e gritando tudo o que te desagradou. Converse com calma, explique o seu lado e ouça o outro também. Juntos vocês irão encontrar uma solução para que o problema não aconteça novamente.

Quando Ceder é Necessário

Em um relacionamento também é importante saber a hora de ceder. Pode parecer incoerente, pois acabamos de dizer no tópico anterior que não se deve guardar mágoas. Entretanto, o ato de ceder entra nessa situação como parte do equilíbrio que deve fazer parte de um relacionamento.

Se você conhece o outro, sabe que há anos ele é uma pessoa esquecida, por exemplo, não adianta ficar brigando toda vez que ele se esquecer de algo. Ao invés disso, ajude-o a manter a memória funcionando. Cada casal é diferente e você saberá dividir o que deve ser sentado e conversado do que é melhor deixar pra lá. O equilíbrio e o bom senso devem estar sempre presentes nos relacionamentos. O exagero nunca é bem vindo e apenas atrapalha o entendimento entre um casal.

A Técnica do Eu

Uma tática que é muito eficiente para resolver problemas entre os casais é a “técnica do eu”. Não se trata de nenhuma armação ou fingimento para enganar o outro, mas sim uma forma de dizer as coisas sem parecer que está atacando.

Se a mulher fica magoada quando o marido sai do trabalho e vai encontrar os amigos sem avisá-la, ao invés de acusá-lo com frases do tipo: “Você me deixou preocupada”; “Você me deixou com raiva”; entre outras, experimente trocar por: “Eu fico magoada quando você sair sem me avisar”; “Eu fico preocupada com a sua demora”.

A simples troca do “você” pelo “eu” faz uma grande diferença em uma conversa. Observe que as frases iniciada com “você” parecem estar atacando o outro, colocando sobre ele toda a responsabilidade do problema. Já quando se começa a frase com “eu” o resultado é outro. Com essa simples troca e mudança no tom de voz você irá conseguir grandes progressos no relacionamento.

Não é atacando e xingando seu parceiro (a) que você irá conseguir convencê-lo a agir de outra maneira. Mas sim mostrando a ele como se sente diante dessa situação. Tudo é uma questão de como se diz as coisas.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Relacionamento

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

  • Oi eu sou o Ricardo.muito obrigado

    Ricardo 17 de Abril de 2014 20:28

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *